quinta-feira, 12 de outubro de 2017

Acordada desde as 4:50h da matina!
O despertador estava para as 5:05h, mas eu acordo sempre antes.
Na realidade já me habituei a estes horários malucos que tenho, culpa do desporto que as crianças praticam.
Quanto mais velhos pior, mais horas de treino. Para piorar dois deles mudaram de clube, para mais longe.
Por vezes difícil de gerir todos os horários, todas as deslocações, acudir a todos e levar a horas onde for preciso. 
Mas não gosto de pedir ajuda, nunca gostei. E sou galinha demais para não acompanhar. 
Ainda bem que consigo. Nem sempre é fácil, mas consigo. Claro que durante o dia os mais velhos já se deslocam sozinhos, mas treino às 6 e aulas às 8 não são muito compatíveis com transportes.
O que ajuda e muito é eu definitivamente ser uma "morning person", já ao final do dia estou com um mau feitio que ninguém me atura.
Agora vamos ao segundo pequeno almoço, e café, muito café. 

quarta-feira, 20 de setembro de 2017

Agora que a escola e a natação estão em velocidade cruzeiro...

Este fim-de-semana fomos a Loule, ver um dos mais velhos nadar uma prova duríssima. 
Não é para todos o que aqueles miúdos fizeram mas, como sempre aliás, prova superada.
Muita entrega, muita superação, muito espírito de equipa, sempre nos limites das suas forças.

Já não ia a Loulé à imenso tempo, e gosto tanto. Boas recordações de viagens a Loulé que guardo.


segunda-feira, 26 de junho de 2017

Lido algures por aí:

"Goodbyes are not forever, are not the end; it simples means I'll miss you until we meet again 🙏"


sábado, 13 de maio de 2017

   Este poema é lindíssimo, merecemos mesmo ganhar o festival

Amar pelos dois

Se um dia alguém
Perguntar por mim
Diz que vivi
Para te amar

Antes de ti
Só existi
Cansado e sem nada p’ra dar
Meu bem
Ouve as minhas preces
Peço que regresses
Que me voltes a querer

Eu sei
Que não se ama sozinho
Talvez devagarinho
Possas voltar a aprender

Se o teu coração
Não quiser ceder
Não sentir paixão
Não quiser sofrer

Sem fazer planos
Do que virá depois
O meu coração
Pode amar pelos dois




terça-feira, 9 de maio de 2017

Estou sem telefone desde o dia dos meus anos (foi uma bela prenda). Caiu na àgua e fritou, paz à sua alma.
Por isso estou desligada do mundo virtual, à mais ou menos um mês. Tenho um telefone, que os meus filhos apelidam de ipedra, com a função básica de telefonar e receber telefonemas. 
Tenho mensagens, básicas também sem bonecadas. Como não recebo as bonecadas por vezes as mensagens não fazem muito sentido, é engraçado.
Tem sido um sossego, volta e meia ligo o PC, navego um bocadinho, mas depressa me farto. 
Acho que me vou manter assim durante todo o verão, nesta paz e nesta liberdade. E quando voltar a ter smartfone vou ponderar continuar desligada. É tranquilo.

sexta-feira, 24 de fevereiro de 2017

Podia, não podia?



É que se assim fosse estaria magríssima. 
Todos os dias às cinco à conta dos treinos dos adolescentes cá de casa que andam todos trocados de horário e sobra para esta mãe.
O problema é mais o contrário, ando o dia todo tão descompensada que só me apetece comer muito, sempre, e mal (ou seja gordices).
Não está bonito para o verão, não está mesmo!

quarta-feira, 8 de fevereiro de 2017

sexta-feira, 3 de fevereiro de 2017

Ia escrever um post todo lamechas, porque chove, porque ainda é inverno, porque tenho uma gripe que não me aguento (a única coisa boa desta gripe é que tenho andado enjoada que nem uma pescada e não como nada, vivo de chá), mas em vez disso vamos lá desejar que venha o verão e que venha depressa.
Gosto desta


quinta-feira, 19 de janeiro de 2017

Quando é que chega o verão?

Esta um frio que não se aguenta!